Quantos me visitaram ?

28 de fevereiro de 2013

UMA SANTA BOBAGEM


Os senhores responsáveis Pela Fundação Cultural de Balneário Camboriú e pela escolha do material literário a ser apresentado aos leitores desse município, nessa próxima sexta-feira, dia 1º de março de 2013, na Biblioteca Pública Municipal, Machado de Assis, deveriam ter mais cuidado na apreciação dessas obras lançadas, sob a chancela dessa entidade pública.
Creio que os responsáveis pelo lançamento do livro de Isaque de Borba Corrêa, São Tomé, a história do apóstolo de Jesus no continente americano, a ser lançado nesta sexta-feira, não leram nem uma linha ou página dessa obra (?) , pois a mesma, além de apresentar erros gravíssimos (ortografia, regência, concordância e colocação - para pouco citar - ) no emprego da Língua Portuguesa, desde a INTRODUÇÃO, não sustenta uma narrativa coerente e, quando a faz, a mesma se apresenta muito mal redigida e fundamentada. Se esta obra tinha o propósito de ser uma documentação histórica (?), leva, isso sim, o leitor incauto a aceitar uma ficção de péssima qualidade, como algo verdadeiro, pois o que é lenda se apresenta como verdade histórica. Uma bisonha BIBLIOGRAFIA  encerra o livro, sem citar os principais autores sérios que trataram desse assunto, como Sérgio Buarque de Holanda, em Visão do Paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil, São Paulo, Civilização Brasileira, 1959. Foi a sua tese  de Livre Docência, para exercer a Cátedra de História da disciplina Civilização Brasileira, na Universidade de São Paulo, hoje USP. Todo o livro de Isaque de Borba Corrêa peca por um estilo insosso e de péssimo gosto, além de apresentar uma linguagem desprovida de  arroubos literários... Não se encontra nenhuma hipótese histórica, consubstanciada em métodos estruturalistas, nem compilações ou interpretações de textos, estabelecidos à luz da ecdótica, sobre o tema, o que poderia amenizar, de alguma forma, sua insipiente investigação (ou incipiente investigação, como queiram). Um desserviço à cultura e um acinte à inteligência do leitor. Jamais uma Fundação Cultural poderia acolher a apresentação pública de uma obra que envergonha a literatura de nosso Município.

ATÉ A PRÓXIMA

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.