Quantos me visitaram ?

31 de agosto de 2006

RELAXAMENTO PUBLICITÁRIO, NO MÍNIMO !









Os dois "out-doors" foram fotografados, há anos, quando passávamos pela Av. Perimetral, no Rio de Janeiro. O primeiro, ao lado do viaduto de acesso à Quinta da Boa Vista e o segundo, ao lado do prédio abandonado, que deveria abrigar o Museu do Índio, pertinho e bem em frente ao Estádio do Maracanã.


É claro que a empresa de flores não foi a responsável direta pelo espinho que feriu a norma culta da Língua Portuguêsa. A agência publicitária tem muita culpa nisso. Faltou uma revisão no "lay-out". E mais! Faltou competência aos revisores do texto. Pudera! Com o exemplo de nosso primeiro mandatário, estropiando o idioma e o descaso do governo com a Educação, só poderiam aparecer aberrações como essa. O que vemos é o fracasso do ensino em todos os níveis. As escolas do terceiro grau, que formam os professores, isto é, as Faculdades e, especificamente, as de Letras, estão totalmente falidas... Se disséssemos que não existem, não estarímos mentindo...


Mas, retornando ao desmando lingüístico.


O erro apresentado nos "out-doors" dizem respeito ao registro culto da língua.
Vejamos.


O som vocálico /A/, pode ser representado, na escrita, por um simples "A" ou por "HÁ". São homófonos (têm o mesmo som), mas não são homógrafos (não têm a mesma escrita). Se este som /A/ se referir a alguma coisa passada, será a flexão do verbo HAVER, e neste caso, vai assim grafado: "HÁ". Se este som /A/ se referir a alguma coisa futura, será uma preposição, e neste caso, vai assim grafado: "A". Portanto, o nosso florista se espetou nos espinhos da Língua Portuguêsa, "Última flor do Lácio, inculta e bela", no dizer do genial poeta parnasiano, Olavo Bilac. Aliás, a FLORICULTURA A CAMÉLIA, fica, por coinscidência, na Praça Olavo Bilac, no Centro do Rio de Janeiro.


Observem que no segundo "out-door", a outra Agência Publicitária teve mais atenção. "Bife à Milanesa" está corretamente grafado. O "A" está acentuado com o acento grave. No caso, indica que se trata de uma Expressão Adverbial Feminina de Modo: "À Milanesa".


Voltaremos, em breve, com mais informações interessantes, pois nosso Blog é do Sul, da Bola e das Letras.


PARA VER O PROGRAMA DA TV LANCE COM NOSSA PARTICIPAÇÃO, É SÓ CLICAR:

http://www.lancenet.com.br/player/tvl_080806_lance_no_ar.htm

30 de agosto de 2006

UMA CURIOSIDADE SOBRE O ÚLTIMO PAÍS CAMPEÃO DO MUNDO EM 2006


Itália.

Substantivo feminino. País da Europa. Itália, segundo Nascentes, deriva do nome de um povo que primitivamente habitou o território, os ítalos. Há muitas histórias, lendas mesmo, sobre o nome deste país. Citaremos algumas.

Apolodoro, em Fragmenta historicorum graecorum, conta que um touro jogado ao mar, perto de Régio da Calábria, foi nadando velozmente em direção à Sicília e toda a terra próxima da ilha ficou sendo chamada de Itália, porque os tirrenos chamavam ítalos ao touro.

Ainda em Fragmenta historicorum graecorum, Aristóteles conta que um certo Ítalo se tornou rei da Enótria e por isso os enótrios mudaram seu nome para ítalos e a costa européia entre os golfos Lamético e Cilético, na Calábria, tomou o nome de Itália.

Aulo Gélio, em Noites áticas, diz que Timeu, nas Histórias que compôs em grego acerca do povo romano, e M. Varrão, nas Antiguidades das Coisas Humanas, escreveram que o nome da terra da Itália vinha de um vocábulo grego, pois os bois eram chamados "italoi" na velha língua grega e havia muito deles na Itália.

PARA VER O PROGRAMA DA TV LANCE COM NOSSA PARTICIPAÇÃO, É SÓ CLICAR:

http://www.lancenet.com.br/player/tvl_080806_lance_no_ar.htm

29 de agosto de 2006

O MELHOR JOGADOR DE FUTEBOL DO MUNDO

















Vocês pensam que o melhor jogador de futebol do mundo foi Pelé? Nada disso, pessoal! O melhor jogador de futebol do mundo foi Rubens Nascimento. É esse que aparece no alto, à esquerda. Ele escreveu um livro (no alto, à direita), justamente com esse título: O Melhor Jogador do Mundo.
O livro é de auto-elogio, da primeira até a última página. Mas o ex-atleta reconhece a falta de modéstia e acrescenta: "É claro que eu sei que o elogio próprio tem pouco valor, mas não adianta querer mascarar a minha vontade". No livro, ele diz mesmo que foi o melhor, e diz isso com o peito aberto e saliente , a cabeça erguida e sem medo de ser feliz, acrescentamos nós.
Rubens Nascimento jogou no Palmeiras de Sertanópolis, do norte do Paraná, em 1950. Treinou no São Paulo (da Capital), em 1954. No Tuiuti, o Leão do Norte, em 1959 e em outros times das cidades prósperas no norte do Paraná, na época da euforia do café. Seu livro auto-biográfico tem prosa interessante, apesar do tema bastante esdrúxulo. Se o leitor quiser saber mais sobre esse assunto, no mínimo, engraçado, tente encontrar em algum sebo o livro O Melhor Jogador do Mundo, de Rubens Nascimento, lançado pela Editora KroArt, no Rio de Janeiro, em 1997.
PARA VER O PROGRAMA DA TV LANCE COM NOSSA PARTICIPAÇÃO, É SÓ CLICAR:

25 de agosto de 2006

MAIS EXPRESSÕES DO FUTEBOL PORTUGUÊS



Vamos continuar apresentando algumas expressões do futebol português.

1) PONTAPÉ-BANANA

É um tipo de folha-seca lateral. Um remate (ou chuto, ou chute) com muito efeito lateral que força o jogador a se envergar, ficando curvado como a banana, daí a metáfora plástica. Em Portugal há um consumo muito grande de banana nanica - a nossa banana d’água - cultivada na Ilha da Madeira. A fruta é muito conhecida. Mais um termo da gíria do futebol português de formação analítica, isto é, vocábulo composto por dois nomes. Assim encontramos no jornal A Bola, 19/10/95, p.18: “Grande pontapé-banana de fora da grande área que traiu Vítor Baía...”

2) PONTAPÉ-DE-BALIZA

Ou pontapé-de-rede. É o tiro-de-meta, no futebol. Como o tiro é chute ou chuto, ou remate e a meta é formada pelas balizas, surge a expressão pontapé-de-baliza. Mais uma formação analítica, isto é, vocábulo composto por dois nomes.

3) PONTAPÉ‑DE‑CANTO

É o escanteio ou córner. É o chute, ou chuto, ou remate de canto. Como chute é chuto ou também pontapé, surge a expressão potapé-de-canto. Outra formação analítica, isto é, vocábulo composto por dois nomes.

4) PONTAPÉ-DE-MOINHO

É uma quase bicicleta. Metáfora plástica. O pontapé-de-moinho é dado com o jogador “pedalando”, com as duas pernas no ar, mas com o corpo inclinado para um dos lados. É uma jogada de grande efeito no futebol. Outro vocábulo de formação analítica, isto é, vocábulo composto por dois nomes. Assim encontramos no jornal A Bola de 28/10/95, p.16: “...e Hassan com um pontapé-de-moinho fez um grande golo”. Em outra parte: “...também se disse que o de Hassan foi de moinho...

5) PONTAPÉ‑DE‑REDE

É o tiro‑de‑meta, no futebol. Como o tiro é chute ou chuto ou remate e as balizas são revestidas, por trás, com redes, surge esta expressão pontapé-de-rede, por metonímia, o invólucro pela coisa envolvida. Outra formação analítica, isto é, vocábulo composto por dois nomes.

PARA VER O PROGRAMA DA TV LANCE COM NOSSA PARTICIPAÇÃO, ACESSE:
http://www.lancenet.com.br/player/tvl_080806_lance_no_ar.htm

22 de agosto de 2006

TV LANCE - SEMPRE UMA BOA IMAGEM PRA VOCÊ



Você pode assistir aos programas da TVLance, pela Internet. No dia 3 de agosto estivemos visitando o complexo da empresa Lance e gravamos algumas cenas para uma matéria sobre a linguagem da bola. Depois saímos para a rua e falamos com o povão sobre os termos e expressões do futebol brasileiro. O pessoal está afiado. O pessoal tem noção do vocabulário do futebolês. Alguns se enrolam, mas isso é natural, esse vocabulário é específico e não faz parte do rol dos termos ativos da língua. Mas quem gosta de futebol aprende e não esquece mais. Vamos ver como ficou a matéria? É só acessar o link http://www.lancenet.com.br/player/tvl_080806_lance_no_ar.htm

Gostou? Ficou legal, não é? Agora é so comprar o Dicionário Futebolês-Português. Já nas grandes livrarias do Brasil.

21 de agosto de 2006



Hoje nós vamos falar de uma expressão usada no futebol português.


À ALTURA DOS PERGAMINHOS

Isso é dito quando uma equipa de grande reputação joga bem. É o futebol visto como arte nobre. Trata-se de uma visão elitizante do jogo. A expressão "à altura dos pergaminhos" é de conotação erudita, está associada à respeitabilidade, à dignidade, à nobreza, à história. Trata-se de comentário feito a uma equipe de grande reputação, que obteve ou deveria obter bom resultado e não se poderia dela esperar outra coisa que não fosse a de jogar um futebol de primeira qualidade. Mas nem todos os ouvintes ou leitores entendem o significado desta expressão, principalmente se não forem aficionados do futebol. E mesmo assim... Pudemos comprovar isso, em Portugal, porque realizamos lá uma pesquisa com algumas pessoas, todas de nível superior, mas sem ligação nenhuma com o futebol. Pedimos que nos dessem os significados de alguns termos ou expressões, muitas retiradas dos jornais especializados e outras ouvidas em transmissões de rádio, como foi o caso dessa. Ninguém soube os sentidos de tudo que perguntamos, principalmente o significado de "à altura dos pergaminhos" . Podemos concluir que estamos diante de uma expressão não entendida por todas as pessoas do mesmo grupo social, caracterizando-se diferentes repertórios lingüísticos dentro do grupo, o que vale dizer, caracterizando o diastraticismo. Formas diastráticas são diferentes falares sócio-culturais.

De acordo com o enfoque dado a determinados comentários, como estes nossos, que acontecem nesse Blog, chegamos à conclusão de que futebol também é cultura...

Até a próxima.

19 de agosto de 2006

CURIOSIDADES

Hoje, vamos iniciar uma seqüência de curiosidades sobre a bola, o jogo, os esportes de massas e de tudo que envolve a paixão pelo futebol.
Iniciaremos por esse cronista maravilhoso que nos conta uma "estória" sensacional sobre outro não menos maravilhoso personagem de nosso futebol.

Paulo Mendes Campos conta como um angu à baiana atrapalhou seu plano de escrever sobre Garrincha.


“Logo depois da Copa de 58, pensei em escrever um livro sobre Garrincha. Através do Sandro Moreira, eu o procurei num treino do Botafogo, e ele concordou com o plano, convidando-me, para início de conversa, a almoçar em sua casa, em Pau Grande, daí a dois dias.
Mas perguntou logo se eu gostava de angu à baiana, e não precisei mentir por delicadeza: adoro angu à baiana. Acrescentou com um sorriso contente que ele mesmo se encarregava de fazer a batida de limão. E arranjaria cervejinha bem gelada. Conforme combinado, passei de manhã no clube, depois do individual, e Mane veio me pedir desculpas: não haveria o almoço, sua senhora estava doente, ficava para outro dia. Sandro começou a rir quando lhe contei a história. Doente coisa nenhuma! Na verdade, quando Garrincha disse em casa que tinha convidado um escritor para comer um angu à baiana, sua senhora protestou, ele agira mal, escritor deve comer galinha ao molho pardo. Digo de passagem que o livro não morreu por causa da galinha, mas porque, como todos sabem, Garrincha é o mais perfeito driblador da história do futebol. Eu não tinha saúde para marca-lo”.

O Globo, abril de 1959.

18 de agosto de 2006

OLHA O CANECO AÍ, MINHA GENTE !


CANECO
É pura metáfora. Perceberam a comparação por idéia ?

CANECO designa a taça, o troféu. CANECO deriva de CANO. O termo CANECO pode ter surgido por analogia (semelhança) à forma da taça, que lembra uma caneca. Por influência de troféu, substantivo masculino, recebeu a marca temática - o -. É mais um chiste lingüístico.

17 de agosto de 2006

É COLORADO.... É COLORADO !



Parabéns, ternacional,
CAMPEÃO DA COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA.
Foi um jogão de bola. Gostaria de ter visto a
Seleção Brasileira jogar, na Copa do Mundo, como os dois times jogaram ontem à noite no Beira-Rio. Não faltou garra a ninguém. O São Paulo foi um digno adversário e quase complica a vida do Internacional. Achei que o Abel Braga correu um risco danado quando substituiu Rafael Sobis. Ficou sem atacante e se o São Paulo fizesse o terceiro (estava 2x2), creio que não daria para o Inter empatar. Mas valeu. Gostaria, mesmo, é que tivesse sido o Abel Braga, dirigindo o Flu, no Maraca, na decisão da Libertadores... Será isso um sonho impossível? Do jeito que as coisas estão acontecendo lá nas Laranjeiras... só daqui a muitos séculos!
E por falar em garra, vontade de ganhar, vontade de acertar... Gostei da apresentação da Seleção do Dunga, mas ainda não deu para dizer que as coisas vão mudar. Motivação plena só acontece com alguma disputa séria, valendo um "caneco", à vera, como se dizia antigamente. Vamos esperar pelo jogo contra a Argentina.
Já compraram o nosso Dicionário Futebolês-Português ?
Aguardem mais termos do futebol, analisados pra vocês. Tchau!

14 de agosto de 2006

PROFESSOR FEIJÓ NA TV LANCE


NA ÚLTIMA SEMANA, O PROF. FEIJÓ, AUTOR DO DICIONÁRIO FUTEBOLÊS-PORTUGUÊS, GRAVOU CENAS PARA UM PROGRAMA QUE IRÁ AO AR NA TV LANCE. VOCÊ CONHECERÁ TERMOS INTERESSANTES DO FUTEBOL BRASILEIRO E SABERÁ COMO O POVO OS UTILIZA, PORQUE, EM MUITOS CASOS, SAEM DO ÂMBITO DO FUTEBOL E PASSAM A FAZER PARTE DO VOCABULÁRIO DO DIA-A-DIA DE TODOS NÓS. É SO CONFERIR, ACOMPAMHANDO A PROGRAMAÇÃO DA TV LANCE, ACESSANDO O SITE www.lancenet.com.br

11 de agosto de 2006

Chat do Prof. Feijó na Lancenet, em 03/08/2006

Lance : BOA TARDE, ESTAMOS RECEBENDO O PROF. LUIZ CÉSAR FEIJÓ, AUTOR DO LIVRO "DICIONÁRIO FUTEBOLÊS - PORTUGUÊS E OUTRAS CURIOSIDADES DA BOLA". PODEM MANDAR AS PERGUNTAS. BOM CHAT!13:49:59

Prof. Feijo : Boa tarde! A partir de agora estou à disposição de vocês para esclarecer suas curiosidades sobre os termos de futebol.13:53:33
Raphael : O senhor tem idéia a partir de que momento as expressões típicas do futebol passaram a serem incorporadas ao lingüajar popular?13:53:42
Prof. Feijó : raphael, nas minhas pesquisas desde 1965, já anoto muitos termos usados no futebol pelos locutores de rádio. Antes dessa data, não conheço nenhum registro a respeito.13:55:09
Juliana : Como surgiu a idéia de escrever o "Dicionário Futebolês"?13:55:15
Prof. Feijo : Juliana, foi decorrência de toda a minha pesquisa a respeito dos termos e expressões usados pelos locutores de rádio, televisão e jornalistas. Assim, comecei a listá-los e surgiu o dicionário.13:56:16
Anderson - Minas : Quais foram os seus meios de pesquisa para escrever esse Dicionário?13:56:21
Prof. Feijo : Anderson - Minas, entrevistas com locutores de rádio e televisão do eixo Rio-São Paulo, jornais e revistas especializadas, inclusive o Lance!13:58:09
Vitorhugo : Quero saber se esse dicionário terá outros fascículos de atualização.13:58:12
Prof. Feijó : Vitorhugo, certamente. Depende dos meus editores...risos...inclusive o lance!...risos...13:58:43
Pedro Henrique Toledo : Conta pra gente o que o senhor encontrou de mais curioso no nosso futebol?13:58:48
Prof. Feijó : Pedro Henrique Toledo, eu só pesquiso a linguagem do futebol na imprensa, no rádio e na televisão. Nesse campo, há muitas coisas interessantes. Técnicas e de abrangência popular. Vou dar um exemplo de cada um: No campo técnico da linguagem - o termo gol é o único da lingua portuguesa que faz o plural com + S, ficando gols. Isso é muito interessante. Quer saber por que? Porque o termo gol soa como G O U, semi-volga. Logo, o plural é com S. Em Portugal não. O plural de gol é golos. Porque o L em Portugal não tem valor de U, logo seu plural não pode ser com mais um S, tem de existir uma volga para fazer a ligação e esta vogal é o O. Porque a palavra gol é masculina. Agora vamos ao popular. Pedro, existe algo mais interessante na gíria do futebol do que drible da vaca? No nosso dicionário nós explicamos isso tudo...é muito longo.14:05:11
Derek Walker : Senhor Luiz César, como foi desenvolver o dicionário?14:05:20
Prof. Feijó : Derek Walker, há muito tempo venho listando os termos da linguagem especial do futebol, explicando-os em artigos, revistas e jornais. Quando já estava com mais ou menos uns 800, resolvi fazer o Dicionário.14:07:02
Priscillinha - PR : O que o senhor achou dessa Copa do Mundo, achou que o nosso Brasil amarelou?14:07:08
Prof. Feijó : Prisicllinha - PR, amarelou. E esse termo "amarelou" está lá no meu dicionário. Confira!14:11:02
Sergio Carvalho : Sou prof. universitário da cadeira de redação em rádio, da Universidade Estácio de Sá, e jornalista. No momento em que o mundo todo é globalizado, usando expressões em inglês, o futebol fez o caminho ao contrário, traduzindo expressões do inglês para o português, como corner e beck. Como o senhor avalia esse fenônomeno?14:11:10
Prof. Feijó : Sergio Carvalho, maravilhoso. Isso prova que a nossa lingua deixou de lado os cenismos. O que é isso? Deixou de traduzir ao pé da letra as expressões das linguas estrangeiras. Como por exemplo o termo auto-estrada que vem do alemão como você sabe. Então, a lingua portuguesa vai buscar no inglês não só as origens, mas também vai adaptar o significado histórico à nossa realidade.14:14:05
Juliana : O senhor é um apaixonado por futebol, qual o seu time de coração?14:14:07
Prof. Feijó : Juliana, sou apaixonado por futebol e o meu time de coração é o Fluminense.14:15:18
Anderson - Minas : O senhor é Prof. de português? Como é o interesse do jovem, atualmente, por essa língua tão maravilhosa e curiosa como é a nossa?14:15:23
Prof. Feijó : Anderson - Minas, eu sou prof. de português aposentado pela UFF e UERJ e pertenço à Academia Brasileira de Filologia. Infelizmente, a nossa lingua está sendo estropiada. Não é só pela globalização, não. A meu juízo é por falta de uma política educacional plena, decidida, voltada para a educação. E o início deveria ser o apoio ao magistério e a lingua portuguesa, basicamente. Mas nem tudo está perdido. O nosso Dicionário contempla um capítulo que une o estudo da lingua portuguesa com o futebol paixão dos brasileiros. Podendo facilitar não só a aprendizagem, mas o comportamento esportivo como um todo.14:18:36
Pedro Henrique Toledo : Quem era o seu ídolo no futebol?14:18:40
Prof. Feijó : Pedro Henrique Toledo, na juventude, Ademir Menezes. Depois, com a idade, não pude fugir de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.14:21:54
Proffeijao : O senhor já escreveu outros livros?14:22:01
Prof. Feijó : Proffeijao, já. Sobre futebol esse é o quarto livro (A linguagem dos esportes de massa e a gíria no futebol, UERJ/ Tempo Brasileiro 1994; Brasil x Portugal, um derby linguístico, IBLL/ UERJ 1998; Balançando o véu da noiva, IBLL/ UERJ 2002 e agora o nosso Dicionário Futebolês Português. Em lingua, linguistica, filologia, poesia, jornalismo e crônicas foram muitos outros...mais ou menos uns 25 livros, num total de 30.14:27:38
Priscillinha - PR : Atualmente, quem é o craque do futebol brasileiro?14:27:40
Prof. Feijó : Priscillinha - PR , o Rogério Ceni.14:28:06
Juliana : O que leva uma pessoa a escrever um livro?14:28:25
Prof. Feijó : Juliana, eu sempre fui professor e o professor não é só um "dador" de aulas. Fico com Castro Alves: "Bendito aquele que semeia livros, livros a mão cheia, fazendo o povo pensar. O livro caindo n´alma, é germe que faz a palma é chuva que faz o mar"14:30:37
Anderson - Minas : Quanto tempo durou a pesquisa para o livro?14:30:47
Prof. Feijó : Anderson - Minas, o atual durou 4 anos.14:31:13
Sergio Carvalho : Cada vez mais as mulheres se interessam e se interam do futebol. Mas em sala de aula, eu, como professor, me surpreendo quando os jovens, de um modo geral, e especialmente as mulheres, não conhecem certas expressões típicas do futebolês. Como: preleção, plantel entre outras. O senhor não acha que a mídia deveria simplicar essa comunicação de maneira que todos pudessem entender?14:31:27
Prof. Feijó : Sergio Carvalho, concordo, mas preleção, plantel e muitas outras, creio que são termos que pertencem também à linguagem extra-futebolística. E creio que essas suas expressões não pertencem ao vocabulário ativo de nossos jovens que lêem pouco, até jornais. Um bom incentivo seria a leitura de jornais em sala de aula. Porque não o Lance!? Eu já fiz isso e deu certo. Os alunos adoraram.14:34:46
Priscillinha PR : O que pensa dessa violência que vem tomando conta do futebol e o que acha que deveria ser feito para conter esses maus torcedores que vão aos estádios para fazer quebra-quebra, como ocorreu no último Gre-Nal?14:34:50
Prof. Feijó : Priscillinha PR, quebra-quebra é problema de polícia, mas não deixa de ser de educação, também. Agora, você sabia que no futebol mundial existem mais de mil termos, em todas as linguas, relacionados a violência? É uma pena.14:36:54
Raphael : O rádio também teve muita importância na difusão do "futebolês". Com a diminuição da influência deste veículo, com o aumento da importância da televisão, que utiliza uma lingüagem mais "limpa", o futebolês corre o risco de desaparecer?14:36:56
Prof. Feijó : Raphael, concordo. O rádio é o veículo de comunicação que mais inovou a linguagem do futebol, surgindo inúmeras gírias, chistes, isto é, brincadeiras linguísticas, e muitos trocadilhos inteligentíssimos. Exemplo: Bancário, macário, malaquias, arquibaldo, geraldino e muito mais. A televisão, realmente, é menos criativa. Você sabio que em Portugal é ao contrário? A telvisão de Portugal importou muita gente do rádio brasileiro. Já fiz essa pesquisa lá na terrinha.14:41:20
Proffeijao : Porque a idéia de homenagear o futebol?14:41:23
Prof. Feijó : Proffeijao, a minha pesquisa é sobre as linguagens especiais. Há linguagens especiais de jovens, de surfistas, de malandros, de polícia, de Comando Vermelho, de PCC e também de futebol. Como eu gosto de futebol, me identifiquei com isso. Aliás, no Brasil, somos muito poucos que trabalhamos nesta área.14:43:33
Raphael : Já tem projeto para um próximo livro?14:43:34
Prof. Feijó : Raphael, já estou preparando apra a próxima Copa. O livro vai se chamar Futebol e Gramática.14:44:05
Vitorhugo : Onde consigo comprar o livro?14:44:06
Prof. Feijó : Vitorhugo, você pode comprar na lancestore (www.lancenet.com.br/lancestore).14:45:01
Raphael : Quando deve ser lançado o próximo?14:45:03
Prof. Feijó : Raphael, dois meses antes da próxima Copa.14:45:32
Raphael : Parabéns pelo seu trabalho! Vou comprar o livro!14:45:40
Prof. Feijó : Raphael, obrigado. Você não vai se arrepender.14:46:05
Prof. Feijó : Achei ótimo participar desse papo com vocês, muito interessante. Li muitas perguntas inteligentes. Agradeço a atenção de todos e todos aqueles gostaram do assunto podem acessar o meu site www.alinguagemdabola.com.br, lá podemos trocar idéias, inclusive interagindo com o Blogger anexo ao site. Um abraço e até uma próxima oportunidade.14:48:20

Lance : AGRADECEMOS A PARTICIPAÇÃO DO PROF. LUIZ CÉSAR FEIJÓ, AUTOR DO LIVRO "DICIONÁRIO FUTEBOLÊS - PORTUGUÊS E OUTRAS CURIOSIDADES DA BOLA" E DAS PESSOAS QUE MANDARAM PERGUNTAS. BOA TARDE! EM BREVE UM NOVO CHAT!

Transcrição do chat de Prof. Luiz Cesar Feijó no LANCENET, em 03/08/2006



Lance : BOA TARDE, ESTAMOS RECEBENDO O PROF. LUIZ CÉSAR FEIJÓ, AUTOR DO LIVRO "DICIONÁRIO FUTEBOLÊS - PORTUGUÊS E OUTRAS CURIOSIDADES DA BOLA". PODEM MANDAR AS PERGUNTAS. BOM CHAT!13:49:59
Prof. Feijo : Boa tarde! A partir de agora estou à disposição de vocês para esclarecer suas curiosidades sobre os termos de futebol.13:53:33
Raphael : O senhor tem idéia a partir de que momento as expressões típicas do futebol passaram a serem incorporadas ao lingüajar popular?13:53:42
Prof. Feijó : raphael, nas minhas pesquisas desde 1965, já anoto muitos termos usados no futebol pelos locutores de rádio. Antes dessa data, não conheço nenhum registro a respeito.13:55:09
Juliana : Como surgiu a idéia de escrever o "Dicionário Futebolês"?13:55:15
Prof. Feijo : Juliana, foi decorrência de toda a minha pesquisa a respeito dos termos e expressões usados pelos locutores de rádio, televisão e jornalistas. Assim, comecei a listá-los e surgiu o dicionário.13:56:16
Anderson - Minas : Quais foram os seus meios de pesquisa para escrever esse Dicionário?13:56:21
Prof. Feijo : Anderson - Minas, entrevistas com locutores de rádio e televisão do eixo Rio-São Paulo, jornais e revistas especializadas, inclusive o Lance!13:58:09
Vitorhugo : Quero saber se esse dicionário terá outros fascículos de atualização.13:58:12
Prof. Feijó : Vitorhugo, certamente. Depende dos meus editores...risos...inclusive o lance!...risos...13:58:43
Pedro Henrique Toledo : Conta pra gente o que o senhor encontrou de mais curioso no nosso futebol?13:58:48
Prof. Feijó : Pedro Henrique Toledo, eu só pesquiso a linguagem do futebol na imprensa, no rádio e na televisão. Nesse campo, há muitas coisas interessantes. Técnicas e de abrangência popular. Vou dar um exemplo de cada um: No campo técnico da linguagem - o termo gol é o único da lingua portuguesa que faz o plural com + S, ficando gols. Isso é muito interessante. Quer saber por que? Porque o termo gol soa como G O U, semi-volga. Logo, o plural é com S. Em Portugal não. O plural de gol é golos. Porque o L em Portugal não tem valor de U, logo seu plural não pode ser com mais um S, tem de existir uma volga para fazer a ligação e esta vogal é o O. Porque a palavra gol é masculina. Agora vamos ao popular. Pedro, existe algo mais interessante na gíria do futebol do que drible da vaca? No nosso dicionário nós explicamos isso tudo...é muito longo.14:05:11
Derek Walker : Senhor Luiz César, como foi desenvolver o dicionário?14:05:20
Prof. Feijó : Derek Walker, há muito tempo venho listando os termos da linguagem especial do futebol, explicando-os em artigos, revistas e jornais. Quando já estava com mais ou menos uns 800, resolvi fazer o Dicionário.14:07:02
Priscillinha - PR : O que o senhor achou dessa Copa do Mundo, achou que o nosso Brasil amarelou?14:07:08
Prof. Feijó : Prisicllinha - PR, amarelou. E esse termo "amarelou" está lá no meu dicionário. Confira!14:11:02
Sergio Carvalho : Sou prof. universitário da cadeira de redação em rádio, da Universidade Estácio de Sá, e jornalista. No momento em que o mundo todo é globalizado, usando expressões em inglês, o futebol fez o caminho ao contrário, traduzindo expressões do inglês para o português, como corner e beck. Como o senhor avalia esse fenônomeno?14:11:10
Prof. Feijó : Sergio Carvalho, maravilhoso. Isso prova que a nossa lingua deixou de lado os cenismos. O que é isso? Deixou de traduzir ao pé da letra as expressões das linguas estrangeiras. Como por exemplo o termo auto-estrada que vem do alemão como você sabe. Então, a lingua portuguesa vai buscar no inglês não só as origens, mas também vai adaptar o significado histórico à nossa realidade.14:14:05
Juliana : O senhor é um apaixonado por futebol, qual o seu time de coração?14:14:07
Prof. Feijó : Juliana, sou apaixonado por futebol e o meu time de coração é o Fluminense.14:15:18
Anderson - Minas : O senhor é Prof. de português? Como é o interesse do jovem, atualmente, por essa língua tão maravilhosa e curiosa como é a nossa?14:15:23
Prof. Feijó : Anderson - Minas, eu sou prof. de português aposentado pela UFF e UERJ e pertenço à Academia Brasileira de Filologia. Infelizmente, a nossa lingua está sendo estropiada. Não é só pela globalização, não. A meu juízo é por falta de uma política educacional plena, decidida, voltada para a educação. E o início deveria ser o apoio ao magistério e a lingua portuguesa, basicamente. Mas nem tudo está perdido. O nosso Dicionário contempla um capítulo que une o estudo da lingua portuguesa com o futebol paixão dos brasileiros. Podendo facilitar não só a aprendizagem, mas o comportamento esportivo como um todo.14:18:36
Pedro Henrique Toledo : Quem era o seu ídolo no futebol?14:18:40
Prof. Feijó : Pedro Henrique Toledo, na juventude, Ademir Menezes. Depois, com a idade, não pude fugir de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.14:21:54
Proffeijao : O senhor já escreveu outros livros?14:22:01
Prof. Feijó : Proffeijao, já. Sobre futebol esse é o quarto livro (A linguagem dos esportes de massa e a gíria no futebol, UERJ/ Tempo Brasileiro 1994; Brasil x Portugal, um derby linguístico, IBLL/ UERJ 1998; Balançando o véu da noiva, IBLL/ UERJ 2002 e agora o nosso Dicionário Futebolês Português. Em lingua, linguistica, filologia, poesia, jornalismo e crônicas foram muitos outros...mais ou menos uns 25 livros, num total de 30.14:27:38
Priscillinha - PR : Atualmente, quem é o craque do futebol brasileiro?14:27:40
Prof. Feijó : Priscillinha - PR , o Rogério Ceni.14:28:06
Juliana : O que leva uma pessoa a escrever um livro?14:28:25
Prof. Feijó : Juliana, eu sempre fui professor e o professor não é só um "dador" de aulas. Fico com Castro Alves: "Bendito aquele que semeia livros, livros a mão cheia, fazendo o povo pensar. O livro caindo n´alma, é germe que faz a palma é chuva que faz o mar"14:30:37
Anderson - Minas : Quanto tempo durou a pesquisa para o livro?14:30:47
Prof. Feijó : Anderson - Minas, o atual durou 4 anos.14:31:13
Sergio Carvalho : Cada vez mais as mulheres se interessam e se interam do futebol. Mas em sala de aula, eu, como professor, me surpreendo quando os jovens, de um modo geral, e especialmente as mulheres, não conhecem certas expressões típicas do futebolês. Como: preleção, plantel entre outras. O senhor não acha que a mídia deveria simplicar essa comunicação de maneira que todos pudessem entender?14:31:27
Prof. Feijó : Sergio Carvalho, concordo, mas preleção, plantel e mutias outras, creio que são termos que pertencem também à linguagem extra-futebolística. E creio que essas suas expressões não pertencem ao vocabulário ativo de nossos jovens que lêem pouco, até jornais. Um bom incentivo seria a leitura de jornais em sala de aula. Porque não o Lance!? Eu já fiz isso e deu certo. Os alunos adoraram.14:34:46
Priscillinha PR : O que pensa dessa violência que vem tomando conta do futebol e o que acha que deveria ser feito para conter esses maus torcedores que vão aos estádios para fazer quebra-quebra, como ocorreu no último Gre-Nal?14:34:50
Prof. Feijó : Priscillinha PR, quebra-quebra é problema de polícia, mas não deixa de ser de educação, também. Agora, você sabia que no futebol mundial existem mais de mil termos, em todas as linguas, relacionados a violência? É uma pena.14:36:54
Raphael : O rádio também teve muita importância na difusão do "futebolês". Com a diminuição da influência deste veículo, com o aumento da importância da televisão, que utiliza uma lingüagem mais "limpa", o futebolês corre o risco de desaparecer?14:36:56
Prof. Feijó : Raphael, concordo. O rádio é o veículo de comunicação que mais inovou a linguagem do futebol, surgindo inúmeras gírias, chistes, isto é, brincadeiras linguísticas, e muitos trocadilhos inteligentíssimos. Exemplo: Bancário, macário, malaquias, arquibaldo, geraldino e muito mais. A televisão, realmente, é menos criativa. Você sabio que em Portugal é ao contrário? A telvisão de Portugal importou muita gente do rádio brasileiro. Já fiz essa pesquisa lá na terrinha.14:41:20
Proffeijao : Porque a idéia de homenagear o futebol?14:41:23
Prof. Feijó : Proffeijao, a minha pesquisa é sobre as linguagens especiais. Há linguagens especiais de jovens, de surfistas, de malandros, de polícia, de Comando Vermelho, de PCC e também de futebol. Como eu gosto de futebol, me identifiquei com isso. Aliás, no Brasil, somos muito poucos que trabalhamos nesta área.14:43:33
Raphael : Já tem projeto para um próximo livro?14:43:34
Prof. Feijó : Raphael, já estou preparando apra a próxima Copa. O livro vai se chamar Futebol e Gramática.14:44:05
Vitorhugo : Onde consigo comprar o livro?14:44:06
Prof. Feijó : Vitorhugo, você pode comprar na lancestore (www.lancenet.com.br/lancestore).14:45:01
Raphael : Quando deve ser lançado o próximo?14:45:03
Prof. Feijó : Raphael, dois meses antes da próxima Copa.14:45:32
Raphael : Parabéns pelo seu trabalho! Vou comprar o livro!14:45:40
Prof. Feijó : Raphael, obrigado. Você não vai se arrepender.14:46:05
Prof. Feijó : Achei ótimo participar desse papo com vocês, muito interessante. Li muitas perguntas inteligentes. Agradeço a atenção de todos e todos aqueles gostaram do assunto podem acessar o meu site www.alinguagemdabola.com.br, lá podemos trocar idéias, inclusive interagindo com o Blogger anexo ao site. Um abraço e até uma próxima oportunidade.14:48:20
Lance : AGRADECEMOS A PARTICIPAÇÃO DO PROF. LUIZ CÉSAR FEIJÓ, AUTOR DO LIVRO "DICIONÁRIO FUTEBOLÊS - PORTUGUÊS E OUTRAS CURIOSIDADES DA BOLA" E DAS PESSOAS QUE MANDARAM PERGUNTAS. BOA TARDE! EM BREVE UM NOVO CHAT!

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.