Quantos me visitaram ?

24 de janeiro de 2012

O HOTEL CAMPESTRE DE PORTO ALEGRE




O sul do Brasil é muito bonito. Aliás, todo território brasileiro é pródigo em belezas naturais, mas duas coisas degradam esses lugares bucólicos, aprazíveis e encantadores. Uma é a devastação incontrolada da terra, com derrubadas de matas nativas e ciliares, na ocupação desordenada do solo. Outra é a falta de uma infra-estrutura consistente para atender à demanda turística. Para ficarmos num exemplo significativo, citamos a deterioração por que passa um dos maiores hotéis de laser de Porto Alegre, que atende os comerciários de todo o Brasil e os gaúchos da capital do Estado, em particular. Trata-se do Hotel Campestre de Porto Alegre do SESC. Sou um entusiasmado freqüentador de suas opções de laser e de suas hospedagem. São quase todos excelentes, com uma administração consistente, profissional e muito bem intencionada. Uma crônica exceção é o SESC de Nogueira, ainda, infelizmente, muito mal falado pelos usuários que conseguem por lá se instalar... Mas voltando ao Hotel Campestre de Porto Alegre. Estive lá há três anos e o encontrei em perfeitas condições de recebimento, e por lá fiquei durante cinco maravilhosos dias. Voltei na semana passada, janeiro de 2012. Que decepção! Os apartamentos sem manutenção estão se degradando fisicamente, a olhos vistos. Os recepcionistas se esforçam para manter as aparências! A comida é muito mal preparada e as reclamações dos hóspedes se faziam diariamente. Os sucos servidos nas refeições são artificiais e pouco recomendados por qualquer nutricionista. A falta de sensibilidade no atendimento prévio caracteriza a má gestão praticada. Tentei falar com seus responsáveis, mas se esquivaram, talvez por receio de se depararem com uma crítica positiva... Uma pena! E mais. Reservei com quatro meses de antecedência dois apartamentos e ao chegar fomos acomodados no primeiro andar, no fim de um extenso e mofado corredor de quase cinqüenta metro de comprimento, ufa!!! Estamos na “melhor idade”, eu e minha esposa. Estávamos, ainda, com dois netos na pré-adolescência. Uma falta de sensibilidade, para dizer o mínimo! Com uma chuva torrencial que caiu sobre Porto Alegre no período em que estávamos hospedados, o apartamento número 120 foi inundado por goteiras torrenciais, molhando todos os colchões e minhas roupas de dormir, que, a muito custo e intensa argumentação consegui da rouparia do Hotel que as lavasse, secasse e passasse. Enfim, o Hotel Campestre do SESC de Porto Alegre merece uma intensa reformulação e suas áreas de laser também, pois algumas servem até de estacionamento para os carros de muitos freqüentadores, nos fins de semana. A regional do Funcomércio de Porto Alegre deve ficar atenta a tudo isso para que não se repita por lá o que, cronicamente, ocorre no Hotel do SESC de Nogueira, no Estado do Rio de Janeiro.
Já o Hotel SESC de Gramado, onde também estive em seguida é outra história! Sua magnífica administração faz dele uma referência, não só no Estado do Rio Grande do Sul, como em todo Brasil.

ATÉ BREVE

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.