Quantos me visitaram ?

18 de setembro de 2008

TRATAMENTO IDEOLÓGICO DA INFORMAÇÃO






O texto:

COMO NASCE UMA NOTÍCIA...

“Dois menininhos estavam saindo do Morumbi quando um deles foi atacado porum Rottweiler feroz. O outro menino imediatamente pegou um pedaço de pau e deu na cabeça docachorro, fazendo com que o cão caísse morto e o amiguinho ficasse apenas com alguns arranhões. Ao ver a cena, um repórter que passava correu para ser o primeiro a cobrira fantástica história. Pensou em voz alta:

- Já estou até vendo a manchete: 'Jovem são- paulino salva amigo de animal feroz!'

-Mas, eu não sou são-paulino. Disse o menino.

- Me desculpe, apenas presumi que fosse, já que estamos na saída doMorumbi. Então, vou escrever: 'Bravo pequeno palmeirense evita tragédia com amigo !'

- Mas, eu também não sou palmeirense. Disse novamente o menino.

- Ok, então: 'Pequenino santista vira herói !'

- Não sou santista, moço.

- Mas, a final, pra que time você torce?

- Sou corinthiano!!!

E o repórter escreve em seu caderninho:

- Delinqüente corinthiano mata brutalmente adorável animal doméstico!

(INTERNET)



A mensagem que pode informar alguém de alguma coisa é o resultado do envio de algo a alguém, cujo conteúdo deverá ser codificado com elementos sígnicos pelo emissor para um receptor, através de um canal. Agora, notícia, em Comunicação Social, é o tratamento ideológico dessa mensagem, dessa informação. Esse tratamento ideológico é comum nos veículos de comunicação de massa. Lá, qualquer mensagem que apareça nos noticiários dos jornais ou nos comentários analíticos, tudo, enfim, que chamamos notícia será sempre tratado ideologicamente. Logo, não devemos confundir, nessa área, INFORMAÇÃO com NOTÍCIA. Tratar ideologicamente uma informação é explicitar a principal característica da ideologia que é a ocultação da verdade ou a dissimulação dessa verdade, com inúmeros propósitos ou fins. No texto anedótico acima, caracterizado de humor como riso, a nosso juízo, pode-se perceber que o fato ideológico é a perpetuação de um estigma que acompanha a história do Esporte Clube Corinthians. Isso é conseguido através da distorção da verdade, contida na pretensa informação ou fato primitivo (a paulada do menino no cão para salvar o pobre coitado). Dissemos que se trata de um texto de humor como riso, explicitando o cômico, porque se trata, entre outras coisas, de uma crítica aos representantes da cultura comunitária, no caso, os torcedores de um dos maiores clubes de futebol do Brasil. Tentando recordar a função do riso, lembramos que a principal é a de delimitar o RIDÍCULO e assim, justificar o perigoso, preparando o seu expurgo. Logo, trata-se de uma REPRESSÃO utilizada pelos textos, quase sempre nos meios de comunicação de massa que provocam o riso, trabalhando aí com uma função chamada de METACENSURA.

ATÈ A PRÒXIMA


Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.