Quantos me visitaram ?

11 de agosto de 2006

Transcrição do chat de Prof. Luiz Cesar Feijó no LANCENET, em 03/08/2006



Lance : BOA TARDE, ESTAMOS RECEBENDO O PROF. LUIZ CÉSAR FEIJÓ, AUTOR DO LIVRO "DICIONÁRIO FUTEBOLÊS - PORTUGUÊS E OUTRAS CURIOSIDADES DA BOLA". PODEM MANDAR AS PERGUNTAS. BOM CHAT!13:49:59
Prof. Feijo : Boa tarde! A partir de agora estou à disposição de vocês para esclarecer suas curiosidades sobre os termos de futebol.13:53:33
Raphael : O senhor tem idéia a partir de que momento as expressões típicas do futebol passaram a serem incorporadas ao lingüajar popular?13:53:42
Prof. Feijó : raphael, nas minhas pesquisas desde 1965, já anoto muitos termos usados no futebol pelos locutores de rádio. Antes dessa data, não conheço nenhum registro a respeito.13:55:09
Juliana : Como surgiu a idéia de escrever o "Dicionário Futebolês"?13:55:15
Prof. Feijo : Juliana, foi decorrência de toda a minha pesquisa a respeito dos termos e expressões usados pelos locutores de rádio, televisão e jornalistas. Assim, comecei a listá-los e surgiu o dicionário.13:56:16
Anderson - Minas : Quais foram os seus meios de pesquisa para escrever esse Dicionário?13:56:21
Prof. Feijo : Anderson - Minas, entrevistas com locutores de rádio e televisão do eixo Rio-São Paulo, jornais e revistas especializadas, inclusive o Lance!13:58:09
Vitorhugo : Quero saber se esse dicionário terá outros fascículos de atualização.13:58:12
Prof. Feijó : Vitorhugo, certamente. Depende dos meus editores...risos...inclusive o lance!...risos...13:58:43
Pedro Henrique Toledo : Conta pra gente o que o senhor encontrou de mais curioso no nosso futebol?13:58:48
Prof. Feijó : Pedro Henrique Toledo, eu só pesquiso a linguagem do futebol na imprensa, no rádio e na televisão. Nesse campo, há muitas coisas interessantes. Técnicas e de abrangência popular. Vou dar um exemplo de cada um: No campo técnico da linguagem - o termo gol é o único da lingua portuguesa que faz o plural com + S, ficando gols. Isso é muito interessante. Quer saber por que? Porque o termo gol soa como G O U, semi-volga. Logo, o plural é com S. Em Portugal não. O plural de gol é golos. Porque o L em Portugal não tem valor de U, logo seu plural não pode ser com mais um S, tem de existir uma volga para fazer a ligação e esta vogal é o O. Porque a palavra gol é masculina. Agora vamos ao popular. Pedro, existe algo mais interessante na gíria do futebol do que drible da vaca? No nosso dicionário nós explicamos isso tudo...é muito longo.14:05:11
Derek Walker : Senhor Luiz César, como foi desenvolver o dicionário?14:05:20
Prof. Feijó : Derek Walker, há muito tempo venho listando os termos da linguagem especial do futebol, explicando-os em artigos, revistas e jornais. Quando já estava com mais ou menos uns 800, resolvi fazer o Dicionário.14:07:02
Priscillinha - PR : O que o senhor achou dessa Copa do Mundo, achou que o nosso Brasil amarelou?14:07:08
Prof. Feijó : Prisicllinha - PR, amarelou. E esse termo "amarelou" está lá no meu dicionário. Confira!14:11:02
Sergio Carvalho : Sou prof. universitário da cadeira de redação em rádio, da Universidade Estácio de Sá, e jornalista. No momento em que o mundo todo é globalizado, usando expressões em inglês, o futebol fez o caminho ao contrário, traduzindo expressões do inglês para o português, como corner e beck. Como o senhor avalia esse fenônomeno?14:11:10
Prof. Feijó : Sergio Carvalho, maravilhoso. Isso prova que a nossa lingua deixou de lado os cenismos. O que é isso? Deixou de traduzir ao pé da letra as expressões das linguas estrangeiras. Como por exemplo o termo auto-estrada que vem do alemão como você sabe. Então, a lingua portuguesa vai buscar no inglês não só as origens, mas também vai adaptar o significado histórico à nossa realidade.14:14:05
Juliana : O senhor é um apaixonado por futebol, qual o seu time de coração?14:14:07
Prof. Feijó : Juliana, sou apaixonado por futebol e o meu time de coração é o Fluminense.14:15:18
Anderson - Minas : O senhor é Prof. de português? Como é o interesse do jovem, atualmente, por essa língua tão maravilhosa e curiosa como é a nossa?14:15:23
Prof. Feijó : Anderson - Minas, eu sou prof. de português aposentado pela UFF e UERJ e pertenço à Academia Brasileira de Filologia. Infelizmente, a nossa lingua está sendo estropiada. Não é só pela globalização, não. A meu juízo é por falta de uma política educacional plena, decidida, voltada para a educação. E o início deveria ser o apoio ao magistério e a lingua portuguesa, basicamente. Mas nem tudo está perdido. O nosso Dicionário contempla um capítulo que une o estudo da lingua portuguesa com o futebol paixão dos brasileiros. Podendo facilitar não só a aprendizagem, mas o comportamento esportivo como um todo.14:18:36
Pedro Henrique Toledo : Quem era o seu ídolo no futebol?14:18:40
Prof. Feijó : Pedro Henrique Toledo, na juventude, Ademir Menezes. Depois, com a idade, não pude fugir de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.14:21:54
Proffeijao : O senhor já escreveu outros livros?14:22:01
Prof. Feijó : Proffeijao, já. Sobre futebol esse é o quarto livro (A linguagem dos esportes de massa e a gíria no futebol, UERJ/ Tempo Brasileiro 1994; Brasil x Portugal, um derby linguístico, IBLL/ UERJ 1998; Balançando o véu da noiva, IBLL/ UERJ 2002 e agora o nosso Dicionário Futebolês Português. Em lingua, linguistica, filologia, poesia, jornalismo e crônicas foram muitos outros...mais ou menos uns 25 livros, num total de 30.14:27:38
Priscillinha - PR : Atualmente, quem é o craque do futebol brasileiro?14:27:40
Prof. Feijó : Priscillinha - PR , o Rogério Ceni.14:28:06
Juliana : O que leva uma pessoa a escrever um livro?14:28:25
Prof. Feijó : Juliana, eu sempre fui professor e o professor não é só um "dador" de aulas. Fico com Castro Alves: "Bendito aquele que semeia livros, livros a mão cheia, fazendo o povo pensar. O livro caindo n´alma, é germe que faz a palma é chuva que faz o mar"14:30:37
Anderson - Minas : Quanto tempo durou a pesquisa para o livro?14:30:47
Prof. Feijó : Anderson - Minas, o atual durou 4 anos.14:31:13
Sergio Carvalho : Cada vez mais as mulheres se interessam e se interam do futebol. Mas em sala de aula, eu, como professor, me surpreendo quando os jovens, de um modo geral, e especialmente as mulheres, não conhecem certas expressões típicas do futebolês. Como: preleção, plantel entre outras. O senhor não acha que a mídia deveria simplicar essa comunicação de maneira que todos pudessem entender?14:31:27
Prof. Feijó : Sergio Carvalho, concordo, mas preleção, plantel e mutias outras, creio que são termos que pertencem também à linguagem extra-futebolística. E creio que essas suas expressões não pertencem ao vocabulário ativo de nossos jovens que lêem pouco, até jornais. Um bom incentivo seria a leitura de jornais em sala de aula. Porque não o Lance!? Eu já fiz isso e deu certo. Os alunos adoraram.14:34:46
Priscillinha PR : O que pensa dessa violência que vem tomando conta do futebol e o que acha que deveria ser feito para conter esses maus torcedores que vão aos estádios para fazer quebra-quebra, como ocorreu no último Gre-Nal?14:34:50
Prof. Feijó : Priscillinha PR, quebra-quebra é problema de polícia, mas não deixa de ser de educação, também. Agora, você sabia que no futebol mundial existem mais de mil termos, em todas as linguas, relacionados a violência? É uma pena.14:36:54
Raphael : O rádio também teve muita importância na difusão do "futebolês". Com a diminuição da influência deste veículo, com o aumento da importância da televisão, que utiliza uma lingüagem mais "limpa", o futebolês corre o risco de desaparecer?14:36:56
Prof. Feijó : Raphael, concordo. O rádio é o veículo de comunicação que mais inovou a linguagem do futebol, surgindo inúmeras gírias, chistes, isto é, brincadeiras linguísticas, e muitos trocadilhos inteligentíssimos. Exemplo: Bancário, macário, malaquias, arquibaldo, geraldino e muito mais. A televisão, realmente, é menos criativa. Você sabio que em Portugal é ao contrário? A telvisão de Portugal importou muita gente do rádio brasileiro. Já fiz essa pesquisa lá na terrinha.14:41:20
Proffeijao : Porque a idéia de homenagear o futebol?14:41:23
Prof. Feijó : Proffeijao, a minha pesquisa é sobre as linguagens especiais. Há linguagens especiais de jovens, de surfistas, de malandros, de polícia, de Comando Vermelho, de PCC e também de futebol. Como eu gosto de futebol, me identifiquei com isso. Aliás, no Brasil, somos muito poucos que trabalhamos nesta área.14:43:33
Raphael : Já tem projeto para um próximo livro?14:43:34
Prof. Feijó : Raphael, já estou preparando apra a próxima Copa. O livro vai se chamar Futebol e Gramática.14:44:05
Vitorhugo : Onde consigo comprar o livro?14:44:06
Prof. Feijó : Vitorhugo, você pode comprar na lancestore (www.lancenet.com.br/lancestore).14:45:01
Raphael : Quando deve ser lançado o próximo?14:45:03
Prof. Feijó : Raphael, dois meses antes da próxima Copa.14:45:32
Raphael : Parabéns pelo seu trabalho! Vou comprar o livro!14:45:40
Prof. Feijó : Raphael, obrigado. Você não vai se arrepender.14:46:05
Prof. Feijó : Achei ótimo participar desse papo com vocês, muito interessante. Li muitas perguntas inteligentes. Agradeço a atenção de todos e todos aqueles gostaram do assunto podem acessar o meu site www.alinguagemdabola.com.br, lá podemos trocar idéias, inclusive interagindo com o Blogger anexo ao site. Um abraço e até uma próxima oportunidade.14:48:20
Lance : AGRADECEMOS A PARTICIPAÇÃO DO PROF. LUIZ CÉSAR FEIJÓ, AUTOR DO LIVRO "DICIONÁRIO FUTEBOLÊS - PORTUGUÊS E OUTRAS CURIOSIDADES DA BOLA" E DAS PESSOAS QUE MANDARAM PERGUNTAS. BOA TARDE! EM BREVE UM NOVO CHAT!

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.