Quantos me visitaram ?

1 de março de 2007

A LÍNGUA PORTUGUESA E O FUTEBOL - II

M E T O N Í M I A

Metonímia - Em sentido lato, isto é, em sentido amplo, “é a figura de linguagem que consiste na ampliação do âmbito de significação de uma palavra ou expressão, partindo de uma relação objetiva entre a significação própria e a figurada. Com esta definição, a metonímia abrange a sinédoque” (Cf. Mattoso Câmara Jr., Op. Cit., 1999, p.167). Um exemplo. Cem cabeças de gado. Stricto sensu, isto é, no sentido mais limitado, as principais relações na metonímia são: a) lugar pelo produto; b) causa pelo efeito; c) matéria pelo objeto; d) marca pelo objeto; e) sinal pela coisa significada; f) abstrato pelo concreto; g) autor pela obra; h) continente pelo conteúdo. No futebol, quer dizer, nos textos que falam do futebol, podemos encontrar muitas situações em que a METOMÍNIA se faz presente. Vamos exemplificar com alguns termos, como: BANCO - BANDEIRINHA - BARBANTE - BICO e muito mais. Vejam lá.

1- BANCO - Significa todos os jogadores reservas que ficam sentados no banco e estão aptos a jogar. Guarda uma noção de plural o que, talvez, justifique a frase dita, um dia, por um técnico de futebol: - “O banco do meu time são de jogadores excelentes”. Ouvem-se, ainda, sem relação ao que foi dito antes, expressões como: “Qual é o banco do Fluminense?”; “Romário está no banco?”. Termo usado, por metonímia, na linguagem esportiva em geral.

2- BANDEIRINHA - Auxiliar de arbitragem nas partidas de futebol, que assinala as faltas, impedimentos, laterais, levantando uma pequena bandeira (vermelha ou amarela ou quadriculada em vermelho e amarelo). Atualmente envia um sinal eletrônico, recebido pelo árbitro, chamando a sua atenção para algo mais sério, que por ventura aconteça. BANDEIRINHA é substantivo comum, masculino ou feminino, pois já há mulheres nessa função de auxílio aos árbitros. O diminutivo é afetivo. BANDEIRA e BANDEIRINHA são casos de metonímia. Atualmente, muitos locutores e comentaristas esportivos, principalmente os que trabalham nas emissoras de televisão, empregam a expressão auxiliar da arbitragem, uma forma de falar, que mostra como a linguagem do futebol está se sofisticando, infelizmente. Existe, também o termo BANDEIRINHA (só subst. fem.) com valor denotativo, sem nenhuma metáfora ou linguagem figurada. Trata-se de uma pequena bandeira, mesmo. Pura denotação. É a bandeirinha pregada na parte superior das estacas, fincadas no chão, nos ângulos retos da figura geométrica retangular, que delineia o campo, onde se pratica o jogo futebol.

3- BARBANTE - Nome que se dá às redes que envolvem as balizas. Como as redes são feitas de corda de náilon, espécie de fibra têxtil sintética e parecem com barbante, que é feito com algodão, fica registrada a metonímia: a matéria pelo objeto. Ouve-se: “Foi no barbante”. Usa-se, também, com o mesmo sentido, o termo “filó”.

4 - BICO - No futebol é usado em expressões como: “Deu de bico”, “Bicão pra cima” etc. Caso de sinédoque: parte pelo todo. BICO refere-se à parte frontal da chuteira, o calçado especial para a prática do futebol. BICÃO: BICO + suf. ão. No basquete, as expressões “Deu bico” e “No bico” significam que a bola lançada em direção à cesta bateu no aro e voltou para ser disputada. Neste caso não ocorre metonímia.

Então, gostaram?

Indiquem nosso SITE e nosso BLOGGER para quem gosta de futebol.

Você aqui encontra coisas do

Sul, da Bola e das Letras


Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.