Quantos me visitaram ?

19 de fevereiro de 2007

DE LAGES A SÃO JOAQUIM





SÃO JOAQUIM É CONSIDERADA A CIDADE MAIS FRIA DO BRASIL, CHEGANDO MESMO A NEVAR, MAS, NO VERÃO, AS TEMPERATURAS SÃO AMENAS.

Hoje terminei meu roteiro para poder usufruir com tranqülidade, dentro do possível, a estada na Serra Catarinense. São dezessete municípios em torno da cidade de Lages para onde me dirigi, gozando as férias de fevereiro. Esses dezoito municípios serranos, catalogados pela Secretaria de Estado da Cultura, Turismo e Esporte de Santa Catarina merecem a visita do viajante para percorrer as paisagens maravilhosas desse recanto brasileiro e, sobretudo, para conhecer seu povo trabalhador e ordeiro. O turista irá se entusiasmar, não só com a acolhida, mas, principalmente, com a exuberante natureza, guartiã de uma história de muitas lutas e heroísmos.

Como escreveu Paulo Ramos Derengoski, "o Estado de Santa Catarina lembra todos os países do mundo. Tem praias como na Espanha, ilhas tal na Grécia, festas como na Alemanha, balé como na Rússia, comida e música tal na Itália. Mas a Serra Catarinense é única".

Ontem iniciei meu périplo por esses sítios, tentando aproveitar o clima ameno do verão, mesmo sabendo que poderia encontrar incríveis variações climáticas - pois o tempo está mesmo doido - , como de fato ocorreu quando subi de Lages para São Joaquim. Se os campos do altiplano desmatados enchem de tristeza o coração do viajante, o desenvolvimento do povo daquela região contrabalança a gana de ver o verde sumindo, dando lugar a pastos abandonados... A alegria chega então, quando vemos as fazendas, no entorno da "Cidade das Neves". Elas são verdadeiros indicadores da pujança econômica, cultivando de modo racional e científico a maçã, a batata-semente, a uva, além de dar à pecuária e à extração da madeira um desenvolvimento sustentado, através de políticas racionais e inteligentes, incrementando, inclusive, o turismo rural. O acesso a São Joaquim, a partir de Lages, pela SC - 438, está em bom estado de conservação, mostrando que é assim mesmo que o poder público deve atuar nesse caso, levando aos brasileiros progresso e felicidade...

Valeu a pena a incursão, mesmo sem ter a ajuda de São Pedro, que mandou uma chuvinha fina e soprou, benevolente, um ventinho frio, mas gostoso, pra cima de nós todos.

Aguardem notícias de outros passeios.

3 comentários:

prpotiguarro25 disse...

muito bomb

Anônimo disse...

muito bom professor feijo saõ joaquim e uma terra maravilhosa sim pos naci aqui mas amo essa terra???

Professor Feijó disse...

Obrigado, prpotiguarro25 pelos comentários. Sua terra é, realmente, muito bonita. Havemos de preservá-la assim.
Abraço, Prof. Feijó

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.