Quantos me visitaram ?

14 de julho de 2006

UMA CURIOSIDADE DA LÍNGUA E DO FUTEBOL




A locução adverbial de modo À BANGU está relacionada à prática do futebol. São muito ouvidas as expressões: "Saída à Bangu". "Foi à Bangu" etc. Saiu da linguagem especial do futebol e é usada pelo povo. Significa sem organização; de modo desorganizado; sem regras; sem ordem. Talvez sua origem tenha sido um tipo de partida-treino, sem compromissos oficiais, disputadas pelos times das divisões inferiores do Bangu Atlético Clube. É importante assinalar que o Bangu Atlético Clube, então The Bangu, é um dos mais antigos clubes de futebol do Rio de Janeiro, tendo as suas origens na Companhia Progresso Industrial do Brasil, no bairro carioca de Bangu, onde, no início da liga, jogavam alguns negros, desde que fossem operários daquela fábrica têxtil. Durante algum tempo, os jogadores do Bangu Atlético Clube foram chamados, pela imprensa dos anos 40 e 50, de os mulatinhos rosados, talvez pelo significativo número de jogadores de origem negra e pela cor rosada de seu uniforme, em listras verticais. Esta locução adverbial de modo, à Bangu, tem ou pode ter conotação pejorativa, identificando-se com outra expressão, à galega. A locução adverbial à Bangu é uma criativa expressão idiomática da língua portuguesa, porque é utilizada pelo povo, fora do contexto esportivo, portanto, como gíria, que guarda o seu primitivo sentido de desorganização. Isso se deu pelo inegável prestígio do futebol. Não é interessante ? Vejam essas e muito mais curiosidades da Língua e da Bola no DICIONÁRIO FUTEBOLÊS-PORTUGUÊS. Uma linda edição da Francisco Alves e Editora do Jornal LANCE. Já nas principais livrarias. Preço: R$ 45,00. (Nas fotos: Fachada da Fábrica Bangu no início do séc. XX e o escudo do Bangu Atlético Clube)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Balneário Camboriú, Sul/Santa Catarina, Brazil
Sou professor adjunto aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Sou formado em Letras Clássicas pela UERJ. Pertenço à Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL), Cadeira Nº 28.